A maior característica do marketing hoje é a sua capacidade analítica. Todas as ações são planejadas com base em objetivos reais e mensuradas, o que garante os bons resultados. Para quem está em transição profissional, a quantidade de índices e taxas pode ser assustadora! Por isso, reunimos aqui algumas métricas de marketing digital e como usá-las.

As principais métricas de marketing digital

Para deixar a explicação mais didática, dividimos as métricas por diferentes partes. A divisão é meramente ilustrativa, já que elas podem ser integradas em estratégias.

Sites

  • Visitas no site

Mesmo óbvia, a métrica de visitantes no site é para mensurar o alcance da marca e a efetividade dos conteúdos produzidos. Além disso, analisando as visitas individuais, é possível descobrir quais são as páginas mais acessadas. 

  • Visitas únicas

O índice de visitas únicas permite que você saiba a porcentagem de usuários que retornam ao seu site. Se muitos leitores retornam ao seu blog, é porque ele corresponde às necessidades do público.

  • Taxa de rejeição

A taxa de rejeição mostra quantos dos usuários descontinuaram a navegação pelo site. Uma “rejeição” significa uma sessão única no site, ou seja, ela acontece quando alguém visualiza apenas uma página e sai. 

Em outras palavras, uma alta taxa pode significar que a identidade do site ou os conteúdos não conversam com o seu público. Assim, talvez seja interessante repensar os textos, as imagens ou o direcionamento.

  • Origem do tráfego

É a maneira com que os usuários chegam até o site. Por meio de tal métrica, é possível saber se os canais usados estão performando bem ou não. 

 A origem do tráfego pode ser:

  1. Busca orgânica – quando o usuário procura seu site ou uma das palavras-chave inseridas nele em um mecanismo de busca
  2. Tráfego direto – caso ele digite o endereço do site diretamente no navegador. 
  3. Tráfego de referência – quando o usuário vem de algum outro site ou blog que cita e indica a sua marca.
  4. Campanhas de mídia paga – cliques que vêm de campanhas no Google Ads, Facebook, Instagram, etc.

Campanhas de mídia

  • Taxa de cliques (click-through rate)

A taxa de cliques ou CTR é o que dita a assertividade do seu anúncio. Ela vem em porcentagem e consiste no total de cliques dividido pelo total de impressões (número de vezes que alguém visualiza o anúncio) multiplicado por 100.

Cada cliente tem seus resultados, mas uma taxa de cliques abaixo de 5% geralmente deve ser estudada. Analisando-a, você pode reavaliar diversos pontos presentes no anúncio, como segmentação, palavras-chave, imagens e direcionamento.

  • Custo por clique (CPC)

Uma das principais métricas de marketing digital, o custo por clique define quanto a marca está investindo para que cada usuário acesse o seu site. É calculada de forma simples – custo da campanha dividido pelo número de cliques alcançados.

Por meio dela, é possível observar quais anúncios estão performando bem e quais devem ser otimizados ou mesmo descartados.

  •  Custo por lead (CPL)

Em estratégias que envolvem geração de leads, é necessário analisar a taxa de custo por cada lead. Assim, o investimento total da campanha é dividido pelo número de leads conquistados. Quanto mais baixo, melhor para a marca.

Marketing de conteúdo

  • Taxa de conversão

A chamada “conversão”, uma das mais relevantes métricas de marketing digital, é mais um passo que o usuário dá em sua jornada de compra. Em outras palavras, a cada passo dado, ele fica mais próximo de se tornar um cliente real.

Essa conversão pode acontecer em uma landing page de e-book, campo de newsletter ou mesmo ao baixar uma versão teste do seu serviço. 

Por ser variável, a métrica depende das metas da empresa, porém geralmente envolve o número de visualizações e o número de visitantes que de fato converteram.

E-mail marketing

  • Taxa de abertura de e-mails

É a porcentagem de pessoas da sua lista que abriram o e-mail em comparação com o número de pessoas que o receberam. Uma dica para taxas altas é apostar nos assuntos criativos, que chamem a atenção dos destinatários.

Uma limpeza da base de contatos, excluindo usuários que estão desengajados há muito tempo ou que têm e-mails inativos, também pode melhorar o índice.

A métrica também serve para a realização de testes, pois permite que você compare horários de envio, dias da semana ou assuntos diferentes.

  • Taxa de cliques no e-mail

A maioria dos e-mails possui uma call to action para determinada página do site, landing page ou outro link qualquer. Dessa forma, você pode analisar quantos dos usuários que abriram o e-mail de fato clicaram onde deveriam.

Aqui os testes também são válidos: use diversos formatos, mude o layout ou troque a posição da CTA. Quanto mais testes feitos, mais cedo você saberá o que gera melhores resultados.

Seja um especialista em Métricas Digitais! 

Agora que já sabe quais são as principais taxas e índices, que tal começar a usá-los? Para conhecer a fundo cada um deles e aprender na prática, busque um curso livre.

Os cursos especializados possuem preços acessíveis e curta duração, adaptando-se à sua rotina facilmente. Além disso, são ministrados por professores altamente capacitados, que atuam diretamente no mercado de marketing.

São Paulo Digital School já formou mais de 800 turmas em seus dez anos de história. Não deixe de aprender com os melhores do setor, construir networking e receber todo o apoio didático necessário. 

Se não souber por onde começar, fale com um de nossos profissionais: eles podem orientá-lo(a) gratuitamente!

Por último, caso o problema seja a distância ou mesmo a escassez de tempo, procure a São Paulo Distance Learning, nossa escola de ensino digital EAD.